Standard Bengalim do Japão

Tipo e Estrutura

O Bengalim do Japão é uma ave de forma compacta e robusta, não devendo, contudo parecer pesado ou gordo. A cabeça é bem proporcionada com o resto do corpo. O dorso tem um diâmetro transversal bem desenvolvido formando um peito amplo. As asas aderem bem ao corpo, devendo terminar no ponto onde começam as penas de cobertura da cauda.

A cauda é mantida um pouco erguida em relação á linha longitudinal geral e, sobre a linha exterior do leque, as rectrizes formam uma flecha em degradé regular, terminando em ponta as duas penas centrais. Os pés e os dedos devem ter escamas regulares. Os dedos devem estar munidos de todos os segmentos. Cada dedo termina numa unha bem formada, não muito longa, a fim de permitir à ave manter-se de maneira segura e firme sobre o poleiro. O bico apresenta-se de forma cónica, possante, robusto, não muito comprido, no prolongamento da linha do crânio e as suas partes superior e inferior unem-se perfeitamente.

O comprimento total do Bengalim do Japão, medido desde a ponta do bico à extremidade da cauda, é de 12,5 cm.

Cor

A cor deve ser tão viva e pura quanto possível, sem sombras, com excepção das mutações especiais mencionadas nos respectivos standards. Em geral e para todas as mutações, a cor da plumagem do dorso e das pequenas plumas superiores das asas é mais clara, bem como do alto da cabeça, da máscara, do peito e da cauda, salvo indicação em contrário no standard de cada mutação.

Desenho

Um desenho de estrias longitudinais deve ser bem visível sobre a nuca, no dorso e sobre as penas pequenas e médias das asas. Na parte inferior do dorso e sobre o uropígio, o desenho das penas, em forma de losangos alongados em ambos os lados do eixo longitudinal do corpo, deve ser bem visível. A parte que recobre o peito, de uma asa à outra, apresenta uma curva regular que faz a uma separação nítida entre as cores da zona inferior do peito e do ventre. Esta curva deve ser nítida e perfeita.

Um desenho regular, nítido e pronunciado, continua desde a linha acima do peito, passando pelos flancos e pelo ventre, até às penas inferiores da cauda. Forma um V cujo vértice se dirige para a cauda. Este desenho característico de “divisa militar” é ainda realçado por plumas sobrepostas em certas zonas. A região denominada ”culotte” (zona entre coxas) situa-se de ambos os lados do uropígio em forma de meia-lua, até à parte de trás das pernas, e inclui as plumas da cloaca. O desenho da “culotte” é idêntico ao da nuca.

Plumagem

A plumagem deve ser completa, densa, fechada e bem aderente ao corpo.

Atitude e Apresentação

Comportamento vivo e atento. Deve manter-se calmamente no poleiro ou mover-se saltitando como é próprio da sua natureza. A linha do dorso apresenta um ângulo de cerca de 35º em relação à horizontal. O pescoço e a cabeça são ligeiramente elevados em relação ao dorso. A zona ventral situa-se bem elevada em relação ao poleiro. As pernas são posicionadas bem paralelas entre si e ao meio do corpo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s